Bomba!

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

A VIDA DA GENTE - Capítulo 06/03 SÁBADO – Resumo da novela A Vida da Gente hoje completo Março 2021

        No próximo capítulo da novela A Vida da Gente – A bolsa estourou e Julia está pronta para nascer, Eva levará a filha para o hospital, onde Ana terá sua bebê, e com medo de se apegar decidirá não olhar para a neném após o nascimento. Porém, coração de mãe é coração de mãe, Ana acabará ouvindo o choro da filha e decidirá ir até ela, o que fará a tenista se encher de amor pela menina e desistir de entregar Júlia para Verônica.  Isso tudo fará Eva surtar, já que precisa se livrar de Julia para que Ana continue a lhe render frutos na sua carreira de tenista, após sucessivas discussões com a filha e sem conseguir convencer ela a mudar de ideia a vilã tomará a atitude mais bizarra e tenebrosa de todas e não medirá esforços para conseguir o que quer. 

Após uma discussão com Alice, que tentou alertar Ana que doar seu bebê é algo errado, a bolsa da garota estourou. Ana ligará imediatamente para a mãe e logo será levada a um hospital com muita dor. Eva, tentando dar força a filha dirá: “Oh meu anjo, estou aqui com você, respira, respira que depois da anestesia eu prometo que você não vai sentir mais nada”. Enquanto isso, Iná, em gramado, pressentirá que algo grave está para acontecer e falará com Manu: “O sonho de novo Manu, aquela água turva, só que agora era a Ana e um bebê flutuando”. Manu ficará assustada e perguntará se era um menino ou uma menina e a senhora falará: “não sei, bebê confunde muito, eu só sei que depois apareceram duas mãos assim e fupite, puxaram a criança e a Ana ficou lá no fundo sozinha, ai é uma sensação horrorosa filha, e pela terceira vez, fora que eu tô sentindo essa aflição e vocês não me dizem nada, sempre a mesma água, e as cartas me dizendo que tem alguma coisa rondando a nossa família, telefona, telefona pra sua irmã, me faz esse favor, telefona, pelo menos assim eu escuto a voz dela”. Manuela, mesmo apavorada, já que sabe de tudo, pedirá que a vó se acalme e dirá que vai ficar tudo bem, ela então ligará para Manu, mas só dará caixa postal.

No hospital, Ana receberá os primeiros cuidados, e Eva e Verônica irão até o quarto de Ana. Eva dirá que Verônica veio assistir ao parto da filha e completará: “Você esqueceu, faz parte do acordo, daqui a pouco a gente vai voltar pra casa”. Ana chorará e dirá que está tudo bem, tentando ser forte. Ana então será levada para outro quarto onde terá o bebê. Na porta, Eva falará: “Força minha filha, força que vai dar tudo certo, quando você vê já acabou”.  Ana perguntará se a mãe não entrará com ela e Eva dirá: “pois é parece que não pode, eles aqui só deixam entrar um acompanhante, mas a verônica vai estar lá o tempo todo”. Chorando, Ana falará: “Mãe pelo amor de Deus, eu não quero entrar sozinha mãe”. Ana dirá que não pode e Ana entrará chorando, chamando pela mãe.  

O parto será feito, Verônica acompanhará tudo, filmando e inclusive cortará o cordão umbilical da bebê. Ana, por sua vez, virará o rosto e chorará, Verônica levará a menina até Ana e dirá: “Ana, queres ver a la niña, mira”. Ana. Por sua vez, virará o rosto e chorando falará: “Não, não quero ver, tira ela daqui por favor, alguém tira ela daqui por favor”. Já  no quarto se recuperando, Ana terá o apoio de sua mãe, a megera ficará ao lado da filha o tempo todo e não perderá tempo para contar a novidade para Vitória, ela ligará para Manu e falará: “Alô Manuela, Manuela sou eu, eu vi, eu vi as suas ligações, mas eu não pude atender, é sua irmã entrou em trabalho de parto, já, já nasceu sim e graças a Deus ocorreu tudo bem, eu acredito que ela tenha alta amanhã e em dois ou 3 dias ela vai poder viajar”. Já Manuela dirá: “Eu estou preocupada porque a vovó, mesmo sem saber da nada mãe, a vovó ela sonhou com a Ana e um bebê dentro d’gua você acredita”. Ríspida, Eva dirá: “Não eu não acredito e nunca acreditei nas exoterices da sua avó Manuela, admira você que é uma menina inteligente que sempre estudou em boas escolas agora ficar impressionada com conversa de sonho e de baralho. Manuela faz o seguinte, você me faz um favor, liga pra Vitória e diz que ocorreu tudo bem, é que com tanta ligação internacional não sei onde essa conta vai parar”. Manuela então dirá: “Eu ligo, agora me fala um pouco da Ana por favor, como é que ela ta”. Eva falará que Ana está bem e que não quer que ela complique as coisas, desligando assim o celular.

Uma enfermeira chegará no quarto e Ana acordará, a enfermeira perguntará se Ana não irá amamentar o bebê e Ana dirá que não, já que não quer ve-la. Eva, perguntará se a filha está bem e Ana dirá que só quer ir embora. Já em gramado, Manuela acalmará a vó dizendo que conseguiu ligar e que ta tudo bem com Ana, que a jovem voltará me breve, deixando Iná menos preocupada.  De volta ao hospital, Ana pedirá que a mãe não durma com ela: “Prefiro que você vá arrumando as coisas mãe, porque quando eu receber alta quero ir direito para o aeroporto, porque não aguento ficar mais um segundo nesse lugar”. Eva irá embora e Ana ficará sozinha, pensativa, ela dormirá e acordará com o choro de um bebê. Ana chamará uma enfermeira por um dispositivo no seu quarto e a mulher perguntará o que ela deseja: “Ai, desculpa, você tem um tampão de ouvido, porque tem uma criança chorando e que não consigo dormir”. A enfermeira dirá que conseguirá, mas que ela deve aproveitar a última noite de descanso, pois no início é sempre assim, bebê chorando.  Ana ficará sem palavras e pouco depois decidirá levantar e sair do quarto sozinha, ela irá até o berçário, onde pelo vidro verá alguns bebês. Será quando ela baterá o olho em um, e terá a certeza que é a sua filha. Ana começará a chorar e decidirá entrar no berçário.

Uma enfermeira chegará e dirá que somente as enfermeiras podem entrar no berçário, Ana dirá que veio ver a filha dela, e a Enfermeira dirá que não pode, porém a enfermeira também perguntará se Ana não quer levar a bebê para o quarto. Ana olhará, sorrirá e dirá: “Claro, eu quero por favor”.  Pouco depois a enfermeira levará a menina para Ana no quarto e Ana pegará a bebê no colo.  A jovem se encantará pela filha e chorará muito. 

No dia seguinte, Verônica chegará com o marido para pegar Júlia, ela dirá que foi até o berçário, mas disseram que Ana pediu para deixar a menina passar a noite com ela.  Ana então dirá: “Verônica eu preciso que você me escute, eu gostei de você desde o primeiro dia que te vi, eu gostei de verdade, de verdade porque se eu não tivesse gostado jamais teria concordado”. Antes que Ana termine, Verônica dirá assustada: “Que passa? Donde estas mi hija?”. Ana então dirá: “Minha filha, minha, sinto muito”. Verônica dirá que Ana não sabe o que está dizendo, mas Ana farará: “A minha mãe forçou essa situação até aqui, mas eu queria você soubesse que quando eu vi o rosto da minha filha, eu não posso, eu não vou poder fazer isso nunca.”. Verônica, nervosa, dirá: “Tu no sabes lo que estas diciendo, Ana, este bebê és mi hija, no puedes hacer esto”. Ana responderá valente: “Mesmo que eu tenha agido errado, mesmo que eu tenha agido errado até aqui, ninguém vai me tirar esse direito, meu direito de mãe, isso ninguém me tira”. O marido de Verônica mandará Ana abrir a porta logo pois eles têm um acordo e Ana dirá: “Não temos acordo nenhum porque eu não assinei nada, não tem contrato e se vocês continuarem eu vou ter que chamar a polícia”.  Sem saída, Verônica e seu marido terão que ir embora, mas jurarão a Ana que isso não terminará assim.

Ana chorará aliviada, e entrará no quarto para pegar a filha: “Ahh Julia, ah Julia, minha, minha minha, minha filha, milha filha, minha”. 

Pouco depois Eva chegará no hospital e verá Verônica chorando: “Verônica, o que foi que aconteceu, pelo amor de Deus, o que aconteceu?”. O marido da argentina então dirá: “Su hija no tienelo derecho a hacer eso. Es uma irresponsabilidade, un absurdo”. Eva perguntará o que Ana fez e Verônica contará que Ana os expulsou dizendo que não vai cumprir o acordo. Eva ficará apavorada, dizendo que Ana não pode fazer isso, e o homem falará: “su hija se encerró en la habitación y dije que si intentamos llevarla, llamará a la policía”.  Eva sairá correndo até o quarto onde dirá que a filha não tinha direito de fazer isso, Ana por sua vez dirá: “fala baixo que a Julia está dormindo”. Eva, por sua vez, continuará berrando: “Você não vai descumprir esse acordo Ana, nós estamos a nove meses aqui esperando por isso”. Ana então dirá: “Você está a nove meses aqui esperando por esse momento eu não, você sabe disso que eu nunca fiquei a vontate com essa história”. Eva dirá que lá fora tem uma mãe destroçada que acaba de ter a filha arrancada dos braços, mas Ana dirá: “Lá fora? E aqui dentro tem o quê? Aqui dentro tem a sua filha, a sua neta, isso é nada pra você? Eu não vou entregar a minha filha não importa o que você faça não importa o que você diga, eu não vou fazer isso”. Eva ficará incrédula e partirá pro drama: “Okay Ana, já que você está resolvida então me diz, o que que eu faço, e o resto, e o seu contrato, e a multa de rescisão do seu contrato, porque sim, nós estamos aqui a nove meses vivendo do salário da sua campanha”. Ana, incrédula, falará: “Eu não acredito que você está pensando em dinheiro numa hora dessas, eu juro por Deus que eu não acredito mãe, fala sério o que é dinheiro pra você?” Eva então falará: “Dinheiro pra mim é não ter que aceitar qualquer coisa, uma casinha qualquer, um maridinho qualquer, será que é tão errado pensar assim? Eu tenho anos de janela Ana, então presta atenção no que eu vou te dizer, essa criança vai ser um entrave na sua vida e na minha, dois avós que se odeiam, pais praticamente adolescentes que nem na faculdade estão ainda”.  Ana interromperá e berrará: “Eu tenho a minha carreira que pode muito bem ajudar, minha carreira que está só começando”. Eva falará que justamente, que a carreira da filha está só começando e que ela é uma promessa que pode nunca se cumprir, ela continuará: “Minha filha, voltar com essa criança para o Brasil significa de cara o cancelamento do seu contrato, sim porque como é que a garota propaganda de uma campanha voltada para o público adolescente cujo o lema é diciplina e saúde vai aparecer de repente aos 17 anos com uma criança debaixo dos braços e fruto de uma produção independente, nisso você não pensou eu te garanto.”. Eva falará um monte de coisa para Ana que retrucará: “Eu não parei para pensar em nada, é o meu coração que ta falando e eu não vou voltar pra casa sem a minha filha, isso eu não faço tem que ter outra saída”. Eva perguntará qual saída e Ana berrará: “Eu não sei, eu não sei, mas deixar a minha filha eu não vou, eu não vou fazer isso”.

Eva sairá e Ana sorridente dará de mamá para a filha:” Para você ficar forte, a mamãe também vai ficar forte, eu te prometo que ninguém vai separa a gente, ninguém”.

Com Ana decidida em ficar com a filha, Eva apelará para outro golpe, ela fará uma mudança nos papeis de entrada do hospital, e registrará Julia, mas registará como ela sendo a mãe. Ana não concordará com isso logo de início, mas depois sabendo que vai ficar perto da filha aceitará, Eva então dirá a todos que Julia é sua filha.


Postar um comentário

0 Comentários